quarta-feira, 29 de junho de 2016


Eu na trilha incerta dos meus passos,
mergulhado no destino imenso dos meus sonhos,
vou percorrendo as estradas do mundo
deitando a toalha branca sobre os altares da humanidade,
e retirando do horizonte profano da vida
a matéria-prima que será sacralizada.

Ele , o tempo e seus movimentos de suas cirandas,
vida que se reveste de cores e estações litúrgicas
que nos convida a celebrar o específico de cada motivo.
Tempo de preparo, de colheita, vida comum, sopro do espírito, tempo de ressuscitar.

Eu, sacerdote das divinas causas;
Ele, sacerdote das humanas razões.
Quando com ele não posso, faço acordo, sorrio com os motivos de suas alegrias e poetizo as tristezas, que de suas mãos se desprendem!
Mas quando com ele posso, ah! 
Quando com ele posso, eu dele me esqueço e vivo!
Padre Fábio de Melo.

2 comentários:

Roselia Bezerra disse...

Boa Tarde, querida Evanir!
Sacerdote das razões humanas é Jesus... que lindo!
Bjm muito fraterno

emanuel moura disse...

Gostei muito deste momento querida afilhada ,um momento cheio de encanto ,muitos beijinhos no seu lindo coração.